para ver para ler para aprender para jogar para fazer para conhecer

para home em português para home em francês para home em alemão para home em inglês

para ver e encomendar livros para crianças

para ler contos em português

para ler poemas de crianças em francês

para ler cantigas de roda

para ler cantigas de embalar

para a página do juramento de um cão

 
  título da página dos contos e lendas  
     
  o príncipe, fantoche para o conto tradicional O Prncipe com Orelhas de Burro
(Conto tradicional português © Recriado por Dulce Rodrigues. Reservados todos os direitos)

Era uma vez um reino onde todos viviam em paz e trabalhavam honestamente sem guerras nem inveja. O rei e a rainha desse reino estavam rodeados de felicidade, mas tinham um grande desgosto por não terem um herdeiro.

Um dia, o rei mandou chamar três fadas e pediu-lhes para concederem à rainha o dom de ter um filho. As fadas prometeram realizar esse seu pedido, mas disseram ao rei que queriam estar presentes pelo nascimento do príncipe. O rei assim prometeu.

Ao fim de nove meses, a rainha deu à luz um menino e, como prometido, as fadas foram convidadas para o baptisado do príncipe, e cada uma deu-lhe um dom de presente. A primeira fada disse: “Serás o príncipe mais belo do mundo.” A segunda fada concedeu-lhe o dom de ser muito valente e inteligente. Então a terceira fada disse: “Para que não sejas orgulhoso por teres tantas virtudes, terás orelhas de burro.” E dito isto, as fadas foram-se embora, deixando o rei e a rainha desolados.

Passado algum tempo, as orelhas de burro do príncipe começaram a crescer como a fada tinha dito. O rei mandou então fazer um barrete para cobrir as orelhas do príncipe e ordenou que ele nunca tirasse esse barrete.

À medida que os anos passavam, o príncipe crescia em beleza e inteligência e ninguém sabia no palácio que ele tinha orelhas de burro, até que chegou a altura em que o príncipe teve de começar a fazer a barba. Então, o rei chamou o barbeiro à sua presença e disse-lhe: “Vais passar a fazer a barba ao príncipe, mas se disseres a alguém que o príncipe tem orelhas de burro, morres.” O barbeiro gostaria muito de poder contar esse segredo sobre o príncipe, mas prometeu que não diria nada, pois não queria morrer."

O segredo pesava-lhe, contudo, e um dia o bom do barbeiro foi confessar-se ao padre: “Eu conheço um segredo que não posso contar a ninguém, mas se não o conto a alguém morro; e se o contar, o rei manda-me matar. Diga-me, padre, o que hei-de fazer.” O bom do padre então aconselhou-o a ir até ao vale, fazer um buraco e contar lá para dentro o segredo, tantas vezes quantas as necessárias para tirar esse peso da consciência, e depois tapar o buraco com terra."

O barbeiro assim fez e depois voltou para casa, com a alma leve como a de um pardal.

Passado algum tempo, cresceram caniços no sítio onde o barbeiro tinha feito o buraco e enterrado o segredo, e uns pastores que por ali andavam cortaram os caniços e fizeram flautas. Mal começaram a tocar com as flautas, ouviram-se também vozes que diziam: “Príncipe com orelhas de burro.” A notícia espalhou-se rapidamente pelo reino e chegou aos ouvidos do rei, que mandou chamar um dos pastores para que ele tocasse numa dessas flautas. E mal o pastor começou a tocar, ouviram-se de novo as tais vozes que diziam: “Príncipe com orelhas de burro.” O rei quis fazer ele próprio a experiência, e mal começou a tocar, sucedeu o mesmo.

Então, o rei mandou chamar as três fadas e pediu-lhes para tirarem as orelhas de burro ao príncipe. As fadas vieram e, quando a corte estava toda reunida, disseram ao príncipe para tirar o gorro. E qual não foi a grande alegria do rei, da rainha e do príncipe, quando viram que este já não tinha orelhas de burro!

A partir desse dia, nunca mais se ouviram as flautas dos pastores dizer: “Príncipe com orelhas de burro.”

O teu amiguinho de quatro patas.

assinatura do Barry

 
  voltar à página anterior  
 
   
       
    Todos os Textos e Imagens © Dulce Rodrigues, 2009. Todos os direitos reservados